Vantagens Competitivas pela Gestão das Cadeias de Suprimentos

20/12/2013
Paulo Resende, Ph.D
Coordenador do Núcleo de Infraestrutura e Logística da FDC - Fundação Dom Cabral.
Editorial Swisscam Magazine 74
http://www.swisscam.com.br/edicao-74-foco-supply-chain.html

 

A gestão das cadeias de suprimentos (Supply Chain Management - SCM) teve na logística integrada seu embrião, através do planejamento de fluxos de produtos, serviços e informações, em uma evolução que objetiva a articulação e a coordenação inovadoras dos processos entre fornecedores e clientes. Apesar de estar relacionada ao conceito de logística integrada, a SCM é muito mais ampla em escopo estratégico, pois se pauta pela construção da eficiência nas relações entre empresas, com vistas à captura de valor ao menor custo possível para todos os elos da cadeia. Um exemplo marcante está nas metas de redução de estoques provocados pela falta de um bem planejado fluxo de informações, e que geram custos excessivos sem uma perspectiva clara de valor para o mercado. Logo, se observada sob a ótica de valor para o cliente, a SCM se enquadra no conceito de gestão de cadeias de demanda, adquirindo um status inquestionável de fronteira de inovação nas relações entre empresas.

Uma doutrina já consolidada do marketing é que "clientes não compram produtos e sim soluções para suas necessidades". Portanto, a gestão criativa das cadeias de suprimentos torna-se um campo fecundo para as estratégias de diferenciação mediante a excelência em serviços. Por exemplo, a busca por maior agilidade, confiabilidade e flexibilidade na entrega de produtos aumenta a força de uma determinada cadeia produtiva. E se realizada em escala global pode representar diferenciais competitivos de difícil superação. Dessa maneira, e sob o contexto da excelência logística, quando se fala de integração nas cadeias de suprimentos para entrega de valor, a meta principal é a maximização da diferença entre o que o produto final vale para o cliente e os custos inerentes ao atendimento dos seus pedidos, independentemente dos desafios espaciais e temporais.

As novas fronteiras da gestão inovadora e o consequente aumento de diferenciais competitivos pela SCM exigem ações que vão desde o estabelecimento da importância de processos de atendimento aos clientes, passando pela identificação de grupos de clientes com similaridades em seus pacotes de valor, até o desenho de estratégias e processos que garantam o melhor nível de atendimento possível ao menor patamar de transferência de custos de propriedade. O desempenho complexo de se replicar pela concorrência está justamente na otimização dos movimentos de acuracidade (cumprimento do prazo de entrega), com o menor nível de avarias possível, em uma composição completa dos itens pedidos. É o conceito de pedido perfeito que exige desempenho monitorado de todos os elementos das cadeias de suprimentos, assim como de suas mais importantes interfaces.

Em suma, o futuro das organizações líderes de mercado será moldado pelas suas estratégias de liderança em custos e em serviços. Ou seja, serão organizações cujo planejamento do fluxo de materiais, dos processos de transformação nas linhas de produção, e dos movimentos de distribuição até o consumidor final esteja baseado em sistemas integrados, ao contrário de um passado recente de ações independentes e que provocavam uma série de riscos de ruptura ou de excessos de estoques de segurança. Será um futuro cujo objetivo é conectar ao mercado as redes de distribuição, o processo produtivo e as atividades de aquisição, de tal forma que os clientes sejam atendidos em níveis mais elevados em consonância com custos mais baixos. É a essência da excelência operacional no contexto competitivo das cadeias de suprimentos.