Ethanol Summit 2017

07/07/2017


Syngenta

Um dos principais eventos mundiais do etanol e derivados de cana-de-açúcar mobilizou centenas de empresários e autoridades do setor em 26 e 27 de junho, no World Trade Center, em São Paulo. A edição 2017 do Ethanol Summit marca o décimo ano desde que foi realizado pela primeira vez, e a Syngenta esteve presente ao longo de toda essa história, levando sua expertise na faceta agrícola do mercado sucroenergético e fomentando o crescimento sustentável da produção de cana - que o Brasil lidera com mais de 600 milhões de toneladas anuais. 

O mote do encontro este ano foi "Um salto para 2030", em referência aos compromissos assumidos pelo País durante a 21ª Conferência das Partes (COP21), em Paris, no acordo entre 195 nações para redução em 43% a emissão de gases de efeito estufa até a data. E para que isso aconteça, temos de aumentar a participação da bioenergia sustentável na matriz energética nacional para cerca de 18%, bem como restaurar 12 milhões de hectares de florestas. Assim, a contribuição da Syngenta na oferta de tecnologias que viabilizem canaviais cada vez mais eficientes e com menos entraves produtivos e mais sustentabilidade é crucial.

Leandro Amaral, Diretor de Marketing para Cana-de-Açúcar da Syngenta, integrou o painel Mais Produtividade e Menor Custo: Caminhos para Crescer, e reforçou a necessidade de dar suporte aos canavieiros na tarefa de aumentar a produtividade com a oferta de soluções confiáveis. "A criação de viveiros, introdução de novas variedades da planta e o uso da muda pré-brotada são algumas garantias de um plantio eficaz para melhorar os níveis de ATR [Açúcar Total Recuperável] por hectare. Também o uso de maturadores pode incrementar os ganhos em 7 kg/ha, e a aplicação de fungicidas para controlar doenças secundárias promovem ganho de até 15 t/ha para as usinas que adotam a prática", explicou.

Quanto à redução de dispêndios com a logística de produção, Amaral destacou a técnica de plantio com sementes, tal como é feito com grãos, como soja e milho. "A ideia é simplificar o plantio comercial, já que, com essa tecnologia, é possível usar cerca de 200 kg de cápsulas de sementes por hectare e não 20 toneladas de toletes. Outra vantagem é a garantia de melhor sanidade e elevadas taxas de multiplicação, já que sementes como as produzidas em nossa Biofábrica, em Itápolis (SP), já vêm com essas características", afirmou Leandro.

As soluções Plene PB, muda pré-brotada de cana-de-açúcar, e as cápsulas de sementes Plene Emerald (que levam o nome pois se assemelham a esmeraldas em formato e cor), citadas pelo Diretor em sua exposição, foram destaques do estande da Syngenta no Ethanol Summit, e estiveram à disposição do seleto público do evento juntamente com todo o conhecimento técnico oferecido por representantes no espaço.

"Avanços Tecnológicos e a Imagem Global do Agronegócio Brasileiro"
Este foi o tema do segundo painel no qual marcamos presença durante o fórum. Daniel Bachner, Diretor Global para Cana-de-Açúcar, apresentou à plateia nosso Plano de Agricultura Sustentável (The Good Growth Plan) e contextualizou a mobilização do setor de cana-de-açúcar para produzir mais no âmbito da sustentabilidade.

"O crescimento do setor passa pelo aumento de área para plantio, mas isso é limitado pelo próprio meio ambiente. Temos que fazer mais com o que temos para alimentar o planeta e, olhando para cana, cada um dos nossos pilares do Plano está embutido em uma etapa do processo produtivo, como o uso de mudas pré-brotadas para termos mais produtividade e eficiência, a educação e treinamento de pessoas no campo e nas usinas para o manejo correto dos produtos e a adoção de corredores ecológicos para conservar a biodiversidade", disse.

Bachner sublinhou que a união de players da indústria e a criação de parcerias público-privadas é fundamental para que o segmento sucroenergético se desenvolva de forma homogênea e benéfica para a economia brasileira e mundial.

"Fazemos tudo o que está ao nosso alcance para entregar o que há de melhor, por exemplo, em R&D para a cana-de-açúcar, mas não vamos conseguir cumprir com nossos compromissos ambientais e abastecer o mundo sozinhos. Também o futuro do setor e a melhoria da imagem do agro estão nas mãos de gerações cada vez mais urbanas e será somente ao discutirmos juntos como construir uma narrativa coerente para a agricultura daqui para frente é que promoveremos um crescimento sustentável para a energia advinda da cana", concluiu.